Minibiografia em 10 filmes

vintage-cinema-sign.jpgAo longo da nossa jornada, vivenciamos experiências que nos moldam durante o percurso. Cheguei então a um ponto no qual as influências de tudo que consumo tornaram-se parte de minha essência.
O envolvimento com a arte aconteceu cedo, e, assim, o amor pelo cinema tem há anos tornado-se um dos meus maiores prazeres. Há muito já não consigo deixar de assistir filmes sequer por uma semana .
Listar os 10 filmes da minha vida foi a forma como me senti mais à vontade para falar um pouco dessa essência, para que, dessa forma, possamos nos conectar através das linhas que serão escritas.

10 – Forrest Gump – O Contador de Histórias: Forrest Gump é de fato impressionante, mesmo para um personagem ficcional. Estar presente em momentos tão importantes para a história do mundo, foi o me maravilhou nesse filme, além da emoção passada de forma única por Tom Hanks. “RUN, FORREST. RUN!”.giphy (1)

9 – Os Infiltrados: Esse filme entra nessa lista por 3 pontos primordiais. O elenco espetacular, que consegue juntar atores excelentes de forma que nenhum se sobreponha ao outro. A trama cheia de suspense, de forma que prenda a atenção de quem assiste. E por último e não menos importante, a direção de Martin Scorsese, que é, na minha opinião, um especialista em filmes de máfia, principalmente quando se trata de irlandeses.

8 – Amnésia: Quando assisti a esse filme pela primeira vez, juro que senti tontura. É uma característica do Christopher Nolan fazer o espectador perder um tempo tentando entender o que se passa na história, mas esse filme em especial, passei uns 30 minutos tentando compreendê-lo, e até hoje eu o interpreto de duas formas diferentes. A sequência de cenas te faz entender o que se passa dentro da cabeça do protagonista de forma bem eficiente.

7 – Bastardos Inglórios: Como bom fã de Quentin Tarantino que sou, esse filme em especial é o que me traz as características marcantes usadas pelo diretor mais à tona. Diálogos elaborados em pelo menos 4 línguas diferentes e ultraviolência não faltam nesse filme, com toda certeza. Se juntarmos as atuações brilhantes de Christopher Waltz e de Brad Pitt, esse filme pode ser considerado uma masterpiece do diretor, agradando até a quem não acompanha seu trabalho tão de perto.

6- Cisne Negro: Se com Amnésia já tinha ficado pensativo, depois desse filme de Darren Aronofsky eu me obriguei a pesquisar sobre psicanálise e distúrbios de personalidade durante 2 dias. As atuações de Mila Kunis e Winona Ryder dão bem o significado de coadjuvante, quando comparamos as duas com a de Natalie Portman, que merecidamente ganhou o Oscar pelo papel interpretado.

5 – Star Wars Episódio V – O Império Contra-Ataca: Sempre que assisto, tento me imaginar no ano de 1980, e como reagiram os espectadores na época. São tantas reviravoltas e acontecimentos importantes com tantas personagens que é difícil definir o ponto alto dessa trama intergalática. Sem dúvidas o meu preferido de toda a saga Star Wars, esse filme consegue me deixar aflito em todas as vezes que assisto.

4 – Batman: O Cavaleiro das Trevas: Esse filme sempre será o maior filme de heróis de todos os tempos. Além de ser do meu herói favorito, o elenco impressionante juntando nomes como Christian Bale, Gary Oldman e Morgan Freeman, ainda temos a atuação sensacional de Heath Ledger na pele do Coringa, que lhe rendeu um oscar póstumo. É emocionante como as reviravoltas mudam o filme. É simplesmente um filme magnífico.giphy

3 – O Código da Vinci: “E se o mundo descobrir que a maior história já contada é uma mentira?” Essa foi a frase que marcou o final da minha adolescência, e me faz refletir sobre convicções antigas até hoje. A verdade é que nunca existirá uma verdade absoluta sobre tudo no universo, e devemos olhar para tudo que há com a mente aberta.

2 – Pulp Fiction – Tempo de Violência: O meu filme favorito do Tarantino, sem sombra de dúvida, é Pulp Fiction. Depois que assisti a esse filme, passei a prestar mais atenção naquilo que o roteiro agrega ao filme, pois em Pulp Fiction os diálogos que foram escritos por Tarantino são o ponto alto. TUDO gira em torno dos diálogos e da forma como eles acontecem, principalmente quando o envolvido neles é Samuel L. Jackson (mothafucka). Não é o melhor filme de diretor, mas com certeza é o meu preferido.

source

1 – O Clube da Luta: We do not talk about Fight Club.

Esse é um pequeno repertório, porém, o mais importante para mim. Espero que tamanha significância possa ser passada para quem os assistir.

Adiós

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: