“Só a loucura salva os inquietos de coração”

menores atos – o som e a fúria

 

Se eu tive uma dificuldade pra começar este texto foi de escolher as palavras pra definir o show do menores atos no Oxigênio Hardcore Fest. Tá, tudo bem que a gente pensa a música com o coração, como já andei deixando claro por aqui. Então é impossível fazer uma análise fria do negócio todo. Foi um festival foda, com várias bandas boas, organização competente, shows começando no horário e tudo mais. Porém, sentir a vibe do lugar, com toda a pulsação do hardcore, era o mais importante.

Antes de falar do que foi o show do menores, queria destacar que, entre as primeiras bandas, Deb and The Mentals me chamou muito a atenção, com sua sonoridade retrô e autêntica ao mesmo tempo. Gostei.

O festival também soube equilibrar de uma maneira bem legal as bandas voltadas para um hardcore mais moderno e aquelas com uma pegada mais tradicional – Garage Fuzz destruindo como sempre −, conseguindo agradar a todos que estavam lá.

Mas pra gente, a coisa começou a acontecer mesmo com a entrada do Bullet Bane. Foi muito acertada a escolha dos caras da banda de começar a cantar em português. As letras estão bem legais e a galera cantou junto com toda a força dos pulmões, pogando insanamente. Sem contar que, quando a banda anunciou que estava gravando seu próximo clipe, o lugar veio abaixo. Catarse total. Ou catálise, dependendo do ponto de vista.

IMG_20170827_192253541

Então, chegou a hora. menores atos no palco. Enquanto acontecia a passagem de som, era quase palpável a ansiedade do público – minha inclusive – para que o show começasse. Todos nós esperando pra ter a melhor bad da vida, por mais paradoxal que isso pareça pra quem vê de fora. Pra quem não sabe o que é ouvir uma banda e sentir que as suas dores estão lá, sendo cantadas e compartilhadas por pessoas que explodem suas sensações entre si, ao fazer ecoar aquelas canções que batiam nas paredes daquele lugar que agora era o nosso reduto.

 

Passional. Abrir o show com essa música era a porrada de que a gente precisava. Era hora de gritar até não ter mais voz durante o show todo. Eram vários sentimentos que se transformavam em uma massa de ar pronta pra ser expelida, e que por sua vez se transformava em som – o som que saía de nós, e que era mais do que gritar. Éramos um coral raivoso e sentimental, éramos voz e lágrimas.Tweet

E menores atos era a banda de que nós precisávamos naquele momento. Tudo que queríamos ouvir.

A proximidade da banda com o público, tanto no palco quanto antes e depois do show, era um ingrediente a mais – e isso é uma coisa que só o hardcore proporciona. Não existe um pedestal. E como o Cyro falou pra gente numa conversa antes de eles subirem ao palco, “a gente é tudo brother”, e é isso que, a meu ver, faz o movimento permanecer em frente.

Doisazero”, “À distância” e “Pressa” intensificaram as vozes. “Mar aberto” ficou um negócio impressionante ao vivo. Mas nada – NADA – superou “Sobre cafés e você”. Sabíamos exatamente o que fazer e não queríamos que aquilo passasse. No fundo, sabíamos que estávamos salvos. Em uníssono.

IMG_20170827_184315130Não dá pra saber o que exatamente nos une e faz com que sintamos tanto a ponto de essas celebrações em forma de show serem uma necessidade quase física pra nós. Talvez a própria banda tenha conseguido definir, na letra de “Pressa”: a inquietude. É isso que somos. Inquietos de coração. E a loucura que nos salva não é nem a loucura na acepção mais tradicional do termo, nem a loucura clichê que as pessoas buscam pra fingir ser diferentes. É simplesmente o fato de sentirmos as coisas do nosso jeito, e de constantemente nos mantermos assim. Continuamos inquietos. Mas temos nosso som. Gritamos. Cantamos. E, cada um em seu caminho, entramos no trem do metrô e enfrentamos São Paulo certos de que nossa alma estava preenchida pelo som e pela fúria do menores atos.

Valeu!!!

 

 

2 comentários em ““Só a loucura salva os inquietos de coração”

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: