Até onde nossas ideologias nos afetam?

Perguntei-me durante algum tempo o quanto aquilo em que acreditamos afeta nossa vida das mais diferentes maneiras. Seja numa bolha social, seja no trabalho, seja no que escolhemos como futuro; nossas ideologias nos cercam o tempo todo. Mas até que ponto isso pode ser positivo ou negativo? Uma vez que nossos ideais nos definem, como podemos fazer algo que seja contrário a isso?

Talvez esse seja um dos maiores questionamentos que já fiz desde a minha última crise existencial. Usemos como exemplo: um professor do curso de direito lecionando a matéria de direitos humanos. Concordemos que é um tema que divide opiniões (pelo menos no cotidiano do nosso país). Mas, e se o próprio professor discordar do que propõe a Declaração Universal dos Direitos Humanos? Como conseguirá ensinar de forma eficiente algo em que ele não acredita?

giphy (8).gif

Não precisamos nem entrar no âmbito educacional da questão para conseguirmos refletir sobre a proposta acima e ver que o quão paradoxal ela se torna. No meu ponto de vista, é quase impossível ensinar algo em que não acreditamos. Seria como pedir a um pastor que ensinasse sobre a Teoria da Evolução, ou a um evolucionista para falar sobre o Criacionismo.

E, então, surge a pergunta: até que ponto estamos dispostos a abandonar o que acreditamos? É difícil questionar algo cuja resposta não sabemos. Sinceramente, nossas crenças e ideologias são o que nos definem como quem somos, e se precisamos abandoná-las por algo, talvez esse algo não seja certo para nós mesmos.

Por outro lado, isso pode se tornar uma barreira no âmbito social. Pense bem: quantas pessoas você já deixou de lado, ou bloqueou em redes sociais, ou evitou na rua por ter ideologias diferentes das suas? Como já falamos outras vezes aqui, vivemos uma eterna disputa ideológica que não cessa. Mas isso não quer dizer que devamos nos afastar de tudo e de todos que discordam de nós. Você não precisa pedir demissão porque seu chefe vota em tal partido e você em outro qualquer. Nem deixar de trocar ideia com aquele camarada de anos só porque ele acha que engenharia é melhor que medicina. Isso não é defesa de ideias, é idiotice.

minha-me-disse-idiota-quem-faz-idiotice

Nossas ideologias nos acompanharão até a nossa morte, mesmo que algumas mudem ao longo da vida, mas isso não significa que ela precise nos afastar de todas as outras pessoas que nos cercam e que pensam diferente. São nessas horas que os debates nos ajudam a conciliar e viver sadiamente em sociedade. Senão, experimente viver isolado. Aposto que não deve ser nada legal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: